O coreógrafo Cristian Duarte é um artista paulistano que atua profissionalmente há 30 anos. Sua formação inclui o Estúdio e Cia Nova Dança em São Paulo e graduação na P.A.R.T.S. (Performing Arts, Research and Training Studios) em Bruxelas. Sua prática artística tem sido marcada pela criação de contextos para experimentação e formação em dança como APT?, DESABA e LOTE/Z0NA. Tem sido convidado por importantes instituições de ensino como DDSKS (Copenhagen), P.A.R.T.S. (Bruxelas), plataforma SICW – Seoul International Choreography Workshop (Seul), DOCH/SKH – Stockholm University of the Arts (Estocolmo), UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Natal/Br), Arizona State University – ASU The Design School (Arizona/US). Coreografou para Transitions Dance Company no Laban Center (Londres) e para o Cullberg Ballet (Estocolmo).

Sua produção tem sido reconhecida pelos principais prêmios de dança no Brasil e apresentada internacionalmente em países como Alemanha, Argentina, Bélgica, Chile, Cingapura, Espanha, Holanda, França, Inglaterra, Portugal, Uruguay e Suécia. Foi um dos curadores das Ações Artísticas da Bienal Sesc de Dança 2019. Com 5 prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), entre seus trabalhos estão: E nunca as minhas mãos estão vazias (2023), Despedançada (uma site específica/2021), < play : (Audiovisual/2021), O que realmente está acontecendo quando algo acontece? (2017), Ó (2016), Against the Current, Glow para o Cullberg Ballet de Estocolmo (2015), Biomashup (2014), Jamzz (2012), The Hot One Hundred Choreographers (2011) e Médelei – eu sou brasileiro (etc) e não existo nunca (2006).












CV